Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Palavra de Bailarina

Para além de dançar o Mundo, gosto de escrevê-lo

Seg | 18.11.13

Doente

Eu bem que quarta-feira já não me sentia nos meus dias, mas quer-se dizer... ás vezes uma pessoa anda cansada e só se apercebe disso quando leva esse mesmo cansaço ao extremo. E depois de acordar ás 5h da manhã para ir para a Faculdade, depois de fazer o fatídico caminho de duas horas para voltar, depois de estar a estudar e ainda andar de um lado pro outro para ir dar duas aulas sem me alimentar como deve de ser, pensei que já estivesse naquele estado degradante por consequência da minha estupidez.. mas afinal não! Quinta-feira estava já em modo de escrever o meu testamento (mariquice aguda) e só tive forças para me levantar da cama quando o meu namorado me disse para passar a noite com ele a cuidar de mim (não é que tenha algo a apontar aos cuidados dos meus pais, mas quer-se dizer... os cuidados do namorado vêm sempre com aqueles extras que são remédios santos). Comecei-me a sentir ainda pior em casa dele, e passei(passámos) uma noite dos Infernos, comigo a acordar várias vezes ora com frio, ora com calor, ora com sede, ora com febre, ora com dores nos rins, ora com dores no estômago, ora com vontade de vomitar (coisa que me controlei religiosamente para não fazer, porque vomitar na casa da sogra é descer três níveis assim como quem não quer a coisa). Felizmente, a coisa acalmou na sexta-feira, e assim consegui passar um fim-de-semana (minimamente) agradável na melhor companhia de todas. Os mimos e os comprimidos curaram metade, agora estou por minha conta para curar a outra nos próximos dias, ainda que no frenesim habitual do meu quotidiano (que isto de ficar em casa é bom, mas é para quem pode... e eu de momento não posso). Sábado tenho de estar fina para começar o meu novo trabalho. O entusiasmo e a energia têm de voltar, nem que seja à força! Toca lá a lançar das boas energias para me ajudar! (as más, vomito-as).