Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Palavra de Bailarina

Para além de dançar o Mundo, gosto de escrevê-lo

Dom | 25.08.13

Remar contra a maré

Monte do Bom Jesus, Braga.



Ao longo da minha vida tens-me ensinado a ter a força e perseverança que também possuis. Tens-me ensinado a não me deixar satisfazer com pouco. Tens-me mostrado como não ser vulgar, a ser única e verdadeira comigo mesma; Ao longo dos anos tens-me deixado fazer birras, chorar, estrabuchar, amuar e  recompor-me ao meu ritmo (que é lento, porque infelizmente sou de guardar rancor). Tens-me feito assumir os meus erros e nunca deixaste que alguém os assumisse por mim; tens-me deixado cair para depois levantar; tens-me deixado ser magoada para aprender a sarar as feridas.
Exigência? Não, inteligência. Frieza? Não, competência.
Porque em todas as decisões que tomo, vulgares ou únicas, tenho sempre o teu apoio. Pelo caminho, lá me encontro para saber o que é melhor para mim;
Porque mesmo com a idade não deixo de fazer birras, choradeiras, estrabuchadeiras e amuos, o que te tira do sério... mas quando me recomponho, demore o tempo que demorar, para ti é como se não se tivesse passado nada;
Porque ao assumir os meus erros sozinha, as consequências também as arrecado sozinha... mas tenho-te sempre ao meu lado para me ajudar a manter a cabeça erguida.
Porque quando caio, levanto-me sozinha... mas saro as feridas em grande parte com o teu carinho e companhia.

Sempre me ensinaste a não ir com a maré. Ensinaste-me que remar contra ela faz de nós pessoas que vivem e não que "sobrevivem".

Hoje remámos mais um pouco juntos... sem maré, apenas por diversão. Por vezes, também acontece e também é necessário.

Sou definitivamente uma princesa mimada com alma de guerreira (e um mau-feitio que doi xD)... e se assim o sou, foi porque tu assim o quiseste. A partir desta conclusão, só posso ter orgulho naquilo em que me moldaste.
Obrigado pai. Amo-te «3