Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Palavra de Bailarina

Para além de dançar o Mundo, gosto de escrevê-lo

Ter | 24.04.12

Stupid girl




Eu sei que ninguém me pode considerar uma "leoa", mas acreditem que sou uma pessoa de muita garra, força e ambição para lutar por aquilo que quero.
No entanto (e detesto admitir isto) é fácil derrubar-me mesmo que não o demonstre. A minha auto-estima, por mais que tente trabalhá-la, é ridiculamente baixa. Basta uma palavra, uma acção, um acontecimento, uma pessoa com piores intenções... e eu demoro tempos a conseguir recompor-me.
Já não andava a sentir-me muito bem, a verdade é essa. No entanto, o facto de estar irracionalmente ocupada fazia com que os meus pensamentos não "fossem por aí". Tinha demasiada coisa para fazer, e como tal mais com que me preocupar.

Infelizmente, bastou um dia... um fucking dia que decidi tirar para mim, para dormir um pouco mais, descansar, ver tv e não ter horários nem despertadores, funções ou afazeres.
Um dia que acabou por se converter num "puro fritanço", numa luta constante na minha cabeça sobre "o que é que eu sou, no que é que me tornei, o que é que eu quero para mim,  o que é que estou a fazer mal, o que é que devo remediar, o que é que estou a fazer bem, o que é que chega e o que é que não chega, o que é que vou conseguir alcançar e como vou consegui-lo..."
E para ajudar à festa um telefonema ridiculo que me meteu bem no fundo do poço, que me fez verter lágrimas duas noites seguidas e não ter forças para hoje me levantar e ir à faculdade.
Sobre isso nem sequer vou mais falar. Não entendo realmente como é que alguém que um dia disse "amar incondicionalmente" é capaz de desrespeitar e humilhar esse Amor de maneira tão nojenta, tão surreal, tão ridicula, e AINDA meter "amiguinhas" ao barulho.

Ora bem, tudo isto junto faz-me ter, neste momento, uma única sensação:
"NÃO VALHO NADA."

Sei que quem quer que leia isto vai ve-lo como uma crise estupidamente infantil que deveria ter ficado na "Idade do Armário".
Infelizmente, para mim, estas crises são um bocado mais complicadas do que isso.