Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Palavra de Bailarina

Para além de dançar o Mundo, gosto de escrevê-lo

Seg | 05.08.13

Amores de Viseu

Era uma vez um rapaz e uma rapariga que se conheceram no coração de Lisboa e que quase imediatamente se apaixonaram um pelo outro.
Era uma vez o mesmo rapaz e a mesma rapariga, que no processo de se conhecerem, descobriram que para além de terem ambos famílias em Viseu, todos provinham das mesmas "santas terras" de Fragosela, Alcafache e Espadanal.
Era uma vez o mesmo rapaz e a mesma rapariga, que pouco tempo depois começaram a namorar... Ele levou-a a almoçar com a sua família, para ser apresentada.
Era uma vez o mesmo rapaz e a mesma rapariga, que descobriram durante esse almoço ser da MESMA família proveniente de Viseu!
 
Não, isto não é uma história qual drama de dois enamorados que descobrem ser irmãos... felizmente! xD
Segundo foi aprofundado posteriormente, a tia da mãe do João casou com o tio do meu pai. E a partir daí, toda uma família que nasceu e cresceu são tios e primos que temos em comum.
 
Este fim-de-semana foi altura de visitarmos esses tios e primos, que já há meses andavam espantados e felicíssimos com a notícia que ouviram através dos telefonemas feitos pelos nossos respectivos pais e avós para Viseu.
Obviamente que para além de toda a família que tinhamos em comum, eu e o João visitámos também família da qual apenas eu faço parte e vice-versa... e devo dizer que adorei conhecê-los a todos, e adorei rever os restantes, assim como as terras que de certo modo, nos pertencem. Apaixonei-me por Alcafache em particular, assim como pelos tios-avós do João que lá vivem :') 
Foi um óptimo fim-de-semana :') Só tenho a agradecer toda a hospitalidade, todos os elogios, toda a força que nos transmitiram, toda a familiaridade e apoio. Vamos fazer por honrá-los!
Duas famílias uniram-se por amor há cerca de 50 anos atrás... e como eles dizem com o seu sotaque tão distinto daquele lugar, "se Deus quiser, brevemente voltará a unir-se e a criar raízes em conjunto."
 
 
 
 
Se eu queria o meu conto de fadas, aqui o tenho! Digo de livros, digno de novelas, digno até de várias épocas.