Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Palavra de Bailarina

Para além de dançar o Mundo, gosto de escrevê-lo

Qui | 31.07.14

México, day 4# Tempestade e bonança

Em primeiro lugar, quero apenas pedir desculpa pela minha ausência de 5 dias aqui no "estaminé"... creio que lamento mais eu do que vocês, que também estão de férias e têm mais que fazer. Comigo também funciona assim, de momento, mas levo este blog um pouco mais a sério do que talvez seria suposto...e a razão pela qual lamento estes 5 dias de ausência é apenas por ter um "Diário de Viagem" que ainda vai a meio, e que necessita de avançar para voltar à escrita em "tempo real".

 

Portanto, avançando... o 4º dia da minha/nossa aventura pela Riviera Maya:

 

É o dia sobre o qual talvez tenha menos para escrever. E porquê? Porque este foi um dos tais dias que reservámos para relaxar entre a piscina e a praia. Assim, o dia começou, como sempre, com o belo do buffet e uma manhã inteira na piscina dentro de água a beber "Miami Vice" e "Pina Colada" antes do meio dia. O almoço também passou tranquilamente, assim como a digestão feita no lobby a ouvir música, a beber um cafezinho e a aproveitar a Internet.

À tarde, rumámos à praia. O dia começava a ficar nublado, mas como o calor tinha até aumentado, não ligámos. O que é certo é que, resumindo muito bem a coisa, a primeira hora e meia fez-se na paz do Senhor, mas depois disso parece que Ele decidiu abençoar-nos com uma pequena tempestade tropical. Chuva, vento, trovoada... o mais desagradável possível. Confesso que fiquei um pouco assustada com a rapidez com que tudo aquilo aconteceu. Num segundo estávamos na água a disfrutar, e no segundo a seguir ouviu-se um trovão, as águas agitaram-se e caiu uma chuva tão densa que deixei de conseguir, por uns quantos minutos, ver o João e por onde se saía do mar. Com dificuldade, lá nos dirigimos às espreguiçadeiras onde se encontravam as nossas toalhas, que por essa hora já estavam ensopadas, assim como a nossa roupa. O staff obrigou-nos a esperar um pouco debaixo dos pequenos abrigos antes de sairmos da praia para apanharmos um dos "carrinhos de golfe" de volta ao Resort. E nesses minutos de espera, tive frio no México pela primeira e última vez.

Passado cerca de 20 minutos, rumámos de volta aos quartos. Apesar de ter continuado a chover, todo aquele Festival tinha acalmado um pouco. Tivémos então de ocupar o resto do nosso "sunset" a torcer toalhas e a tentar tirar-lhes o excesso de água com o secador. 

Depois de um final de tarde com um cenário tão péssimo que me fez crer que o resto das férias estavam arruinadas, veio uma noite sem chuva, sem vento, sem trovoada e com uma temperatura brutal. 

O México quis estragar-nos o final da tarde, mas deu-nos uma noite extraordinária para sair e aproveitar ao máximo :)