Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Palavra de Bailarina

Para além de dançar o Mundo, gosto de escrevê-lo

Ter | 29.12.15

Sugar free

A minha tia ofereceu-me no Natal um livro de "Receitas vegetarianas para quem quer ser saudável". Significa que para além da parte que salta logo à vista de todos no título ("vegetarianas"), tem também a parte do saudável, que significa muitas receitas/bebidas/sobremesas ricas em fibra, proteína vegetal e sem açúcar. 

Apesar de não ser vegetariana, ao longo do tempo fui tomando gosto por ser mais cuidadosa com a minha alimentação. Eliminei a carne vermelha da minha vida (excepto na carne picada) simplesmente porque a textura e o sabor já não me agradam (safam-se os hambúrgueres e o esparguete à bolonhesa, em que ainda tolero a carne de porco); eliminei o leite dito "da vaca" dos meus pequenos almoços ou lanches, simplesmente porque o meu estômago já não o tolerava (apesar de amar o sabor e de beber um copinho de leite magro à noite muito de vez em quando), substituindo pelo leite de soja, de amêndoa e de avelã; aprendi a apreciar umas almôndegas de soja quando estou cansada das minhas refeições regulares; comecei a comer mais fruta e a reduzir no pão, substituindo pelas tostas integrais (que é a minha maior dor, uma vez que não gosto de pão de mistura e sou louca por um pãozinho alentejano); deixei de comer cereais com açúcar de manhã (compro daqueles sem açúcar da área dos produtos biológicos do continente) e acreditem que têm apenas uma pequena diferença no sabor relativamente aos outros; comecei a adicionar aveia e linhaça (mais fibra) a tudo o quanto possa e consiga (como os iogurtes - muitas vezes de soja também - e até mesmo os cereais que referi); comecei a variar os meus lanches, até mesmo com panquecas com leite de soja, farinha de amêndoa e fruta, bem mais saudáveis; mas pouco mais fiz. Parece muita coisa, mas fi-lo de um modo tão natural, tão por gosto e necessidade de mudança, que quando já o fazia por sistema nem me apercebi. 

Mas continuando o tema do meu novo livro de "receitas vegetarianas para quem quer ser saudável", tenho aproveitado estes diazinhos um pouco mais livres (não me querendo lembrar que tenho passado muitas tardes com o cu enfiado numa cadeira a fazer trabalhos) para experimentar algumas coisas, e os cobaias, para além do meu palato, têm sido os meus familiares e namorado. 

Decidi começar por coisas simples, como a variação no meu pequeno almoço. Experimentei umas papas de aveia com cacau, fruta e canela (sem açúcar), e lá arrastei a minha mãe para o "frete". Ficámos tão cheias que não conseguimos comer mais nada o resto da manhã (e gostámos, também é importante). Por isso, foi um "check" na lista.

Depois, resolvi complicar um pouco mais e fazer uns scones de banana e frutos vermelhos, com farinha de milho (uma vez mais, sem açúcar). Provei e vai que gostei (tendo algumas melhorias a fazer da próxima vez.) Dei a provar à minha mãe, que gostou. O meu irmão fez uma careta de quem esperava algo mais doce, mas comeu tudo. O meu pai também disse que era um ótimo snack para meio da sua manhã. 

Mas nos entretantos, levei ao meu namorado... dei-lhe a provar, já toda confiante por todas as aprovações até ali recebidas. Lá desci à terra quando ele quase se cuspiu todo a dizer "Mas tu queres-me matar? Mas que mistela de comida de cão é esta? Açúcar, tragam-me açúcar!!"

Perante o meu "olhar ameaçador", perguntou-me em tom de brincadeira:

"Então, ficaste azeda?"
Ao qual só respondi:

"Sim... tal como os meus scones, que tu não gostaste... hoje sou sem açúcar para ti."

Gozou comigo o resto da noite. E eu bebi chá e comi scones... sugar free -.-'