Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavra de Bailarina

Para além de dançar o Mundo, gosto de escrevê-lo

Sex | 12.01.18

Olá 2018!

Palavra de Bailarina
Sê bem-vindo, ano das mudanças, dos desafios e dos momentos de cortar a respiração. Ansiei por ti da mesma forma que te temi... nenhuma das emoções sem fundamento. És de facto assustador e ao mesmo tempo maravilhoso. Tens uma tonalidade mais suave e brilhante que 2017, já consigo senti-lo (não me desiludas nesse sentido, por favor).Sei que vêm aí tempestades. Aliás, bastou Janeiro iniciar e já comecei a sentir a "terra tremer", com a faculdade a testar os meus limites e a (...)
Sex | 29.12.17

Vamos falar de 2017?

Palavra de Bailarina
Bem, não que me apeteça muito falar sobre este ano, sou sincera. O mais irónico disto tudo é que sempre disse "Como o 17 é o meu número da sorte, 2017 vai ser o meu ano." Só não me ocorreu que fosse dos piores anos que tive e de que me lembro. Que ano do caraças. Um "caraças" que tenderia a ser um asneiredo daqueles, não fosse a minha consideração pelos que me estão a ler neste momento. Depois do João me ter pedido em casamento, ainda no Natal de 2016, pensei que nada (...)
Qua | 27.12.17

Um feliz natal a dar para o atrasado

Palavra de Bailarina
Eu sei, eu sei... "que vergonha Joana, não vieste desejar um feliz Natal aos teus queridos leitores aqui pelo blog!"Shame on me... mas para minha defesa, desejei através da página de facebook do blog e através do instagram. Não fui assim tão desnaturada quanto isso.Espero que tenham passado as festividades junto dos que mais amam e com muita alegria, que é o que mais importa :) Este ano fomos 14 gatos pingados em casa dos meus pais (ainda minha, também). Quem acompanha os meus (...)
Qui | 21.12.17

Olha para o céu e diz-me o que vês - Palavras dançadas #7

Palavra de Bailarina
"Olha para o céu estrelado e diz-me o que vês. Diz-me que não sou a única a ver uma estrada imensa de constelações numa confusão atroz, sem sinalização nem cedência de passagem. Diz-me que, como eu, vês caminhos de luz que, quer queiras quer não, se encontram algures.Olha para o céu e diz-me o que vês. Tira-me o peso de pensar que sou a única desequilibrada num mundo que quer viver de perfeitos equilíbrios. Diz-me que também sentes que o errado parece certo. E que nem (...)
Dom | 05.11.17

Os dias em que nos sentimos pequenos (e aqui, os metros pouco importam) - PALAVRAS DANÇADAS #6

Palavra de Bailarina
 Há dias em que acordamos e se faz um clique feio e asqueroso na nossa cabeça. Damos por nós a tentar perceber qual o exato momento em que esse clique se dá. Será assim que adormecemos? A meio das nossas horas de sono? Imediatamente quando acordamos? Qual será o instante exato em que a nossa cabeça é formatada para pensar: “Hoje vais sentir-te uma bosta”?Continuo sem uma conclusão, mas acontece. E acontece de tal modo que sentimos que seríamos pessoas mais produtivas se (...)