Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavra de Bailarina

Para além de dançar o Mundo, gosto de escrevê-lo

Seg | 26.08.13

M de Miley...M de Medo... M de Mau... and so on

Ok Miley Cyrus, nós já percebemos que mudaste, que já não és a country girl linda do papá, que cresceste e estás uma mulher... aliás, nós já tínhamos entendido isso tudo, mas ficámos com dúvidas depois de assistir à tua performance nos VMA's. Seriously, qual era a ideia? É que a linha que separa a inovação da completa estupidez é bastante ténue e tu pronto... tropeçaste pro lado errado. Essa performance foi do infantil ao ridículo e daí não passou. Com sorte/azar (dependendo da perspectiva) a tua carreira não foi pelo cano.
 
Para quem não assistiu aos VMA's e depois desta minha micro-depreciação está a morrer de curiosidade a pensar que afronta cometeu a rapariga, nada temam! Tomem lá, podem saciar a vossa curiosidade à distância de um click:
 
http://mashable.com/2013/08/25/miley-cyrus-vmas/
 
 
E se são pais de meninas que têm neste momento como filosofia o "quando crescer quero ser como a Hannah Montanah"... bem, tentem explicar-lhes com calma e suavidade que tal pessoa foi para um sítio melhor no céu, que já não volta e que podem guardá-la para sempre nos seus corações... que aquela que veem na tv e ouvem na rádio é apenas a sua conturbada irmã gémea que tem a mola da língua partida.
Seg | 26.08.13

Parabéns mulher da minha vida :')





Quais Angelinas Jolies, Beyoncés e boazonas que tais... a minha mãe bate todas aos pontos! Só espero que um dia os genes falem mais alto e eu vá pelo mesmo caminho :P
PARABÉNS minha grande heroína, pelos teus (quantos me pediste para dizer que eram? AH 29 :P) ! Não só pela tua data de nascimento, mas também pela tua garra, a tua paciência, o teu sorriso, pelos objectivos alcançados e a vontade de continuar a alcançar mais e mais, independentemente das dificuldades. Espero que te consigamos dar o dia que tanto mereces! Amo-te amo-te amo-te mãe «3

Dom | 25.08.13

Remar contra a maré

Monte do Bom Jesus, Braga.



Ao longo da minha vida tens-me ensinado a ter a força e perseverança que também possuis. Tens-me ensinado a não me deixar satisfazer com pouco. Tens-me mostrado como não ser vulgar, a ser única e verdadeira comigo mesma; Ao longo dos anos tens-me deixado fazer birras, chorar, estrabuchar, amuar e  recompor-me ao meu ritmo (que é lento, porque infelizmente sou de guardar rancor). Tens-me feito assumir os meus erros e nunca deixaste que alguém os assumisse por mim; tens-me deixado cair para depois levantar; tens-me deixado ser magoada para aprender a sarar as feridas.
Exigência? Não, inteligência. Frieza? Não, competência.
Porque em todas as decisões que tomo, vulgares ou únicas, tenho sempre o teu apoio. Pelo caminho, lá me encontro para saber o que é melhor para mim;
Porque mesmo com a idade não deixo de fazer birras, choradeiras, estrabuchadeiras e amuos, o que te tira do sério... mas quando me recomponho, demore o tempo que demorar, para ti é como se não se tivesse passado nada;
Porque ao assumir os meus erros sozinha, as consequências também as arrecado sozinha... mas tenho-te sempre ao meu lado para me ajudar a manter a cabeça erguida.
Porque quando caio, levanto-me sozinha... mas saro as feridas em grande parte com o teu carinho e companhia.

Sempre me ensinaste a não ir com a maré. Ensinaste-me que remar contra ela faz de nós pessoas que vivem e não que "sobrevivem".

Hoje remámos mais um pouco juntos... sem maré, apenas por diversão. Por vezes, também acontece e também é necessário.

Sou definitivamente uma princesa mimada com alma de guerreira (e um mau-feitio que doi xD)... e se assim o sou, foi porque tu assim o quiseste. A partir desta conclusão, só posso ter orgulho naquilo em que me moldaste.
Obrigado pai. Amo-te «3

Qui | 22.08.13

Voltei, Porto # 2

Jardim de Serralves
 
 
"Sou o que se chama de pessoa impulsiva(...) Vem-me uma idéia ou um sentimento e eu, em vez de refletir sobre o que me veio, ajo quase que imediatamente. O resultado tem sido meio a meio: às vezes acontece que agi sob uma intuição dessas que não falham, às vezes erro completamente, o que prova que não se tratava de intuição, mas de simples infantilidade (...) Deverei continuar a acertar e a errar, aceitando os resultados resignadamente? Ou devo lutar e tornar-me uma pessoa mais adulta? E também tenho medo de tornar-me adulta demais: perderia um dos prazeres do que é um jogo infantil, do que tantas vezes é uma alegria pura. Vou pensar no assunto. E certamente o resultado ainda virá sob a forma de um impulso. Não sou madura bastante ainda. Ou nunca serei.”
 

 

Clarice Lispector
Qua | 21.08.13

Voltei, Porto!





Deixa-me dizer-te que estás igual, querida cidade. Eu é que me sinto outra desde a última vez que te visitei. Sou uma "outra" melhor, mais resolvida, mais completa. Há poucos meses atrás quis procurar-me em ti, mas não me encontrei. No entanto, regressei a Lisboa com um espírito mais livre e com uma força que só o teu sotaque me poderia ter dado. (Apesar de me sentir uma eterna lisboeta, sei que nas minhas veias corre a pujança do Norte.)
Querido Porto, voltamos a encontrar-nos como dois compinchas que nunca se separaram. Volto a salientar, estás igual. Obrigado pela tua constante hospitalidade.
 
Com amor da trenga e moura Ju.