Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavra de Bailarina

Para além de dançar o Mundo, gosto de escrevê-lo

Qua | 13.05.20

Comprar online para bebés na quarentena - Lojas de confiança

Perdoem-me se agora terão algumas coisas sobre "bebés" por aqui. Este blog não tem um propósito profissional, vai "seguindo para onde eu sigo", e uma vez que conheço bastantes grávidas de pandemia para além de mim... acho importante este tipo de partilhas!

Muitas de nós foram apanhadas de surpresa face a todo o "universo" que temos de comprar para a chegada dos "rebentos". Na nossa cabeça, iríamos passear pelos Fóruns ou pelas lojas do centro das cidades com a mãe, a sogra, o marido, a amiga (etc etc) e ir vendo, perguntando, apreciando e...comprando! 

Mas o cab*** do Corona veio trocar-nos as voltas. De repente temos de ficar umas peritas nas compras online, rezar para que a loja seja de confiança, que as coisas cheguem ao destino a tempo, que o tecido seja bom, que o berço seja tão giro quanto parece, que isto não seja "demasiado pequeno", que aquilo não seja "demasiado grande",... enfim! 

Eu felizmente, como pessoa apressada que sou, fui comprando as roupinhas dos primeiros tempos, os avós também e, quando dei por mim, tinha o que precisava (sabendo que nunca é demais, maaaas...). No entanto, houve coisas em que obviamente eu e o João fomos apanhados desprevenidos como todos os outros. Por isso, resolvi vir aqui trazer uma lista de lojas com vários tipos de coisas necessárias (ou menos necessárias... mas fofinhas!) para este mundo da "grávida em organização" e pedi-vos ajuda no instagram para me darem nomes de lojas que também achassem úteis e com as quais tinham tido boas experiências. Temos desde marcas "handmade" portuguesas a marcas internacionais, por isso há para todos os gostos, ainda que eu tenha de fazer este apelo: o que puderem, comprem em lojas portuguesas, que estarão com certeza a precisar do nosso apoio.

Para os seus links, basta clicarem no nome!

Roupa de bebé, babetes, sapatinhos, prendedores de chuchas, porta documentos, fraldas de pano, entre outros:

Bean Baby Clothes

Smiles & Companhia 

-» Kikicose

The Cotton Baby

Janela de sonhos

Clou baby

Algodão com amor

MiMar Baby

Quarto do bebé:

Pineapple Company 

Produtos de Higiéne e outros

Mifarma

Bebé.pt

Outros (com "de tudo um pouco", incluíndo roupa pré-mamã e malas de maternidade):

Bebitus

Vertbaudet

ByBebé

Loja dos Bebés

La Redoute

Zara Home

El Corte Inglês

ToysRUs

 

Relembro que são todas lojas em que tivémos boas experiências de compras :) Espero que seja útil!

92395081_841671519632381_7453359642727415808_n.jpg

 

 

 

Seg | 11.05.20

"A Bela e o Monstro" - o espetáculo de 2019 e um desabafo

São precisamente 02:27h enquanto escrevo esta primeira linha. Não tenho sono, o que é uma novidade nesta quarentena: geralmente, tirando os desconfortos típicos da gravidez, nada me tem impedido de dormir (quanto mais o fizer, menos horas passo em confinamento... um bocado triste, mas real). Fiquei na sala e, estando farta da televisão e do meu telemóvel, liguei o dispositivo eletrónico em que menos tenho estado para lazer: o computador. Liguei-o não percebi muito bem porquê, talvez na esperança de encontrar inspiração para escrever, mas não chegou, porque hoje foi um daqueles dias particularmente difíceis de estar aqui fechada e tenho a cabeça tão cheia de pensamentos quanto desprovida de inspiração.. Então fui ao Youtube e resolvi rever o espetáculo final de Dança do ano letivo passado: "A Bela e o Monstro de outras histórias".

Foram vários os momentos em que as lágrimas me correram pelos olhos, por dois motivos distintos, mas que se ligam entre si: uma nostalgia assoberbada de mais um espetáculo sentido e vivido com muito orgulho e amor, relembrando-me das saudades que tenho do meu trabalho; e por outro lado, por me lembrar daquilo que eu SOU e FAÇO, e que rezo poder voltar a SER e a FAZER a partir de outubro. Ao longo destes já 60 dias de quarentena, fui-me esquecendo voluntária e involuntariamente disso. E porque é que tal coisa aconteceu a alguém que respira o seu trabalho? A palavra é só uma: carapaça. Uma carapaça que construí para não me doer mais esta "prisão domiciliária". Quando percebi que as coisas estavam mesmo mal, estava a trabalhar. E apesar de já estarmos a tomar as devidas precauções e de eu calcular que teríamos de fazer umas férias da Páscoa maiores, nada me faria prever que a metade do meu dia, o Presidente do Clube onde dou os treinos viesse ter comigo para me informar que tínhamos de parar. Primeiro, por duas semanas obrigatórias, mas possivelmente por tempo indefinido. Pedi-lhe que me deixasse dar as aulas até ao fim daquele dia para poder falar diretamente com os meus alunos mais velhos e, sem ninguém saber, passei metade do meu "intervalo" a engolir as lágrimas no WC. Sabia que não seriam duas semanas. Um mês, pelo menos. E sabia que isso faria com que o espetáculo para o qual estávamos a trabalhar afincadamente este ano letivo ficasse sem efeito, pela falta de tempo. Era só nisso que pensava inicialmente quando me falavam em quarentena, naquilo que já tínhamos construído e que ficaria a meio (caramba, é bem pior do que nem sequer começar). Mas engoli em seco, prometi que ia aproveitar o tempo em casa para trabalhar na segunda parte do espetáculo, implorei que cumprissem as regras de isolamento caso as escolas também fechassem (nem disso tínhamos a certeza por esta altura) e fingi um ligeiro otimismo no que dizia respeito a regressarmos ainda este ano letivo. Eu própria, no fundo, queria acreditar... mas nunca aconteceu de facto. E outra coisa que nunca aconteceu, até à data, foi esse tal trabalho prometido da minha parte, porque ao tentar sequer ouvir as misturas musicais já criadas e treinadas, sentia uma urticária emocional gigante e optei por as excluir completamente da minha cabeça. Neste momento, nem sequer sei se o novo espetáculo, "Corcunda de Notre Dame", verá na mesma a luz do dia, no final do ano letivo 2020/2021 (as dúvidas são cada vez maiores). Mas, ainda assim, passaram 8 semanas e ainda não ouvi uma única música do trabalho já coreografado este ano, ainda não me debrucei um segundo neste computador em busca das músicas perfeitas para o efeito, ou sequer escrevi no papel várias hipóteses de enredo para a segunda parte. Frustração ao pensar sequer nisso é a única emoção que sinto de momento. Hipócrita, ainda criei desafios de dança para incentivar os meus alunos nestes dias de quarentena, mas para além de neste momento não me ser possível de participar também, admito que não o quereria fazer. "Faz o que eu digo, não faças o que eu faço." Que típico! Pareço a malta que foi festejar o 25 de abril e o 1º de maio.

E onde é que entra o espetáculo da "Bela e o Monstro de outras histórias" neste texto que já metade das pessoas desistiu de ler?

Foi o espetáculo mais recente que nós, DreamMakers fizemos. Mais um que nos demonstra que, com o poder do amor, o Sol volta sempre a brilhar, demore o tempo que demorar. E é nisso que temos de nos focar todos, agora. 

Ficam algumas fotografias, que não fazem minimamente justiça a todo o trabalho realizado, mas fica bem representado. Para os vídeos, basta aceder AQUI à página de Facebook do projeto DreamMakers Crew.

95272278_106434284391631_491301416363622400_o.jpg

95567949_106434354391624_1540122732010668032_o.jpg

95699360_106435647724828_7599952799299796992_o.jpg

96012422_106434881058238_419121999873310720_o.jpg

94889245_106434997724893_4637774289733419008_o.jpg

95260010_106435157724877_250196804363091968_o.jpg

95382501_106435327724860_622216838499008512_o.jpg

94977388_106436224391437_3514536416505757696_o.jpg

95272930_106435404391519_4751310118115606528_o.jpg

95665735_106436101058116_1689747392464683008_o.jpg

95491627_106436601058066_7591140084754153472_o.jpg

95376470_106436677724725_3416277919939428352_o.jpg

95417835_106436737724719_7622765964769099776_o.jpg

95491627_106436811058045_8042662076662939648_o.jpg

95321749_106436991058027_5005334859325898752_o.jpg