Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Palavra de Bailarina

Para além de dançar o Mundo, gosto de escrevê-lo

Sex | 20.03.15

Abraços (pormenores) que fazem o meu dia

Esta semana, numa animação que fiz numa das escolas onde dou aulas, um dos meus alunos (que tem Espectro de Autismo) ficou a assistir, todo contente. Sorria de orelha a orelha, por sentir a energia divertida que ia dentro daquele pavilhão. Acenei-lhe quando olhou para mim e imediatamente ele me acenou, ainda que desviando o olhar (para quem não sabe, é raro um autista gostar/conseguir olhar nos olhos de outra pessoa). Quando terminei a aula, já a arrumar as minhas coisas para descansar até à sessão seguinte, senti alguém abraçar-me as pernas, atrás. Quando me virei, lá estava o T (o meu menino autista) agarrado a mim. Retribuí o abraço. Nunca ele me tinha deixado fazer tal coisa. Relembro que as pessoas com Espectro de Autismo também não gostam, na sua maioria, que lhes toquem e muito menos que os apertem, abracem ou beijem.

Fiquei mais feliz do que possam imaginar. Foram tantas as vezes que tentei dar-lhe um abracinho ligeiro, ou até mesmo fazer uma festa no cabelo... e a resposta foi sempre um grunhido e um pequeno empurrão.

Hoje recebi o derradeiro abraço. Aquele que não sei se voltarei a sentir. Aquele que, ainda assim, foi o melhor abraço de todos.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.