Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Palavra de Bailarina

Para além de dançar o Mundo, gosto de escrevê-lo

Seg | 09.07.18

Casamento dos Jotas - 23 junho 2018

Este blog não poderia deixar passar este dia em branco. O dia de 23 de junho de 2018 foi dono de todos os maravilhosos clichês, do príncipe e da princesa, do "E viveram felizes para sempre" e dos dias mais felizes e bonitos das nossas vidas. Foi um dia que superou todas as nossas expetativas, mesmo depois de um ano e meio a ser organizado. E essa organização não foi um mar de rosas, desenganem-se. Organizar um casamento é dose, mesmo quando temos esse "bichinho" para o fazer e o à vontade de quem está habituado a lidar com muita gente e com eventos que acarretam um número grande de pessoas. Ainda assim, o casamento é uma organização em que, por mais que queiramos ser flexíveis e relativizar as coisas, não queremos falhar. E não queremos ouvir as vozes que, mesmo sem querer, nos desmotivam. E não queremos fugir a budgets, porque os temos muito bem estipulados e "ah e tal, isto chega perfeitamente." Nunca vai ser assim. 

Felizmente, posso dizer que eu e o João fomos dos noivos sortudos que viram o seu dia a tornar-se realidade uma forma muito idêntica ao que tínhamos sonhado e planeado, mesmo depois de termos achado que assim não seria (porque os contratempos existem SEMPRE). Tínhamos um cansaço extremo em cima, com tudo o que aquele mês já nos tinha feito carregar nos ombros. Pesos que foram sido retirados um a um, mas que não puderam anular as maselas já deixadas. Um exemplo foi que emagreci quatro kgs em três semanas (perda causada única e exclucisamente pelo stress) e no ato de ir buscar o meu vestido de noiva uma semana antes, tive de lá o deixar de novo para apertar. Só o pude levar para casa na quinta-feira, casando no Sábado.

Dois dias antes, vi-me de rastos como não sabia que podia estar. Sentia-me negativa... e doente. E até triste e culpada por me sentir assim tão para baixo tão perto da data com que mais sonhámos (eu, o João, ambas as famílias e os amigos que nos querem bem) durante tantos meses. Sentia que não sabia como tinha ali chegado. Foram tantas as coisas a acontecer antes, tantos os afazeres relativos ao próprio casamento e outros que nada tinham a ver, que senti que tinha avançado uns bons 6 meses sem passar por eles. Acho que posso considerar que estive em choque xD

Nesse mesmo dia, uma noiva que tinha casado recentemente, disse-me que o que eu sentia era normal. Que não estava doida, que era N-O-R-M-A-L. Que havia dias próximos do dia C que eram dos infernos. E que tudo passaria. Estas palavras chegaram-me para acreditar que não era a única. 

Mas sobre o dia em si, que é o que importa, o que posso dizer? Foi o melhor do Mundo. Vou ter saudades daquele dia para sempre, não só porque correu sem contratempos, mas porque a energia que as pessoas à nossa volta emanaram foi do melhor que podia ter existido. Estivemos com pessoas que não vemos com tanta regularidade quanto gostaríamos, estivemos com pessoas com quem estamos no nosso quotidiano, estivemos com TODOS. E estivémos mesmo, no verdadeiro sentido da palavra. Consegui estar com todos, nem que tenha sido na pista de dança. Posso ser das noivas sortudas que diz "aproveitei o meu casamento ao máximo. Desfrutei dele, da sua comida (ok, isso nunca na totalidade mas hey, consegui sentar-me para almoçar como todos os convidados!), da companhia das pessoas, da dança, da música... e o João também!

Até com o clima tivemos sorte, num mês super instável entre frio e chuva quando devia estar sol e calor; a entrada na igreja foi diferente do que se vê por aí e muito aquilo que sonhei um dia ter (quando ouvirem uma noiva dizer "dê por onde der, quero os meus alunos a dançar na minha entrada da igreja"... não desdenhem dela, está bem?); a decoração que ficou tal e qual como queríamos; a disposição para a folia e para a dança, a comida, as fotografias e o vídeo, o meu vestido que aparentemente nasceu para me ser vestido (palavras alheias... e o meu pensamento também!), o fato do João que era do azul mais bonito que podia ter escolhido (eu não o vi até ao dia), os nossos convidados que estavam lindíssimos e se sentiam como tal, principalmente os nossos pais e manos... tudo foi perfeito, tudo correu melhor do que esperávamos, e mais importante: tudo foi vivido com carinho, com amizade, amor, respeito e positivismo. 

Somos uns sortudos e celebrámos um amor com 5 anos da melhor maneira. Muitos disseram que parecíamos saídos dos contos de fadas. E foi assim mesmo que nos sentimos, em todos os aspetos.

Desculpem-me a extrema redundância, não costumo ser assim (a maior parte das vezes, até penso de forma contrária): mas afirmo sem medos, que fomos o par de noivos mais bonitos que já vi. Pronto, já disse, não me levem a mal nem me achem a moça mais convencida deste mundo, mas as verdades são para se dizer (e não, não estou a brincar).

Muito, muito gratos a todos os que estiveram presentes para presenciar o início deste novo capítulo <3 

PS: mais pormenores... basta esperarem pelo post seguinte :D

jj-819.jpg

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.